Plano de funicular na Mouraria e escadas rolantes no Martim Moniz

Lisboa investiu 130 milhões de euros em matéria de reabilitação urbana nos últimos cinco anos em obras licenciadas e que visaram a requalificação de património já existente. Mas ainda há projetos prioritários para melhorar os acessos na cidade, como é o caso das escadas rolantes para ligar o Martim Moniz ao Castelo (nas Escadinhas da Senhora da Saúde), um funicular entre a Alta da Mouraria (onde será criado um parque de estacionamento) e a Graça e elevadores entre o Campo das Cebolas e a Sé. Ainda não se visualizam prazos para estas obras mas os projetos de execução já estão a ser desenvolvidos, segundo Manuel Salgado, Vereador do Urbanismo da Câmara Municipal de Lisboa (CML). O Vereador revela ainda que o elevador já existente na Rua dos Franqueiros está a ter cerca de 60 mil utilizadores mensais, um número bastante relevante

O investimento da autarquia de 730 milhões de euros na reabilitação urbana, oriundo de verbas do Programa de Investimentos Prioritários em Acções de Reabilitação Urbana do Quadro de Referência Estratégico Nacional e das contrapartidas do Casino de Lisboa, e 600 milhões de privados. Segundo os autarcas da Câmara Municipal de Lisboa ainda necessitam de mais oito mil milhões de euros para intervir em todos os prédios a precisar de obras. As zonas onde a aposta de reabilitação foi mais forte são os bairros históricos como Alfama, Mouraria e Madragoa, a zona norte e a zona ribeirinha da capital portuguesa. E sem esquecer a Baixa Pombalina onde investiram 126 milhões de euros entre 2008 e 2013. Segundo o Vereador do Urbanismo, “há 24 edifícios inteiros em obras na Baixa, dos quais sete se destinam a alojamentos turísticos, o que representa uma área de intervenção de 33 mil metros quadrados. Além disso há 16 processos, 14 deferidos à espera de pagamento das licenças e 107 em apreciação.”