Museu do Amanhã conta com equipamentos WEG

Tecnologias de última geração permitem que o Museu do Amanhã, o mais recente cartão-de-visita do Rio de Janeiro e um dos grandes legados das Olimpíadas de 2016, funcione respeitando o meio ambiente. O projeto, que segue o conceito de eficiência energética, é assinado por Santiago Calatrava e foi inaugurado em dezembro de 2015, na Praça Mauá.

Entre as principais ações que tornam o edifício sustentável está o aproveitamento das águas da Baía de Guanabara no sistema de climatização. O trabalho de instalação dos aparelhos de ar-condicionado foi executado pela empresa Ambient Air, que utilizou produtos WEG para garantir o acionamento e o controlo de velocidade dos motores das máquinas, garantindo o conforto térmico do ambiente, tendo em vista as altas temperaturas que são registadas no Rio de Janeiro. Segundo dados do Museu do Amanhã, as ações aplicadas na captação de água da baía podem gerar uma economia de 9,6 milhões de litros de água por ano. Para isso, no subsolo do museu foram instaladas seis bombas para puxar as águas frias do fundo da baía, para serem utilizadas na troca de calor com o sistema de refrigeração. A medida proporciona uma redução do consumo de energia e dispensa o uso de equipamentos e de água potável nas torres de refrigeração. Além do sistema de climatização, a água da baía também é utilizada para abastecer os espelhos de água, responsáveis por reduzir a temperatura do ambiente até dois graus. Uma das maiores instaladoras do segmento HVAC no Brasil, a Ambient Air foi fundada há 41 anos na cidade do Rio de Janeiro e detém diversos certificados nacionais e internacionais, com qualificação e know-how suficientes para realizar instalações que envolvam uma elevada complexidade técnica.

www.weg.net/pt