Fuga de água nos armazéns industriais

Fuga de água nos armazéns industriais: prevenção e consciencialização

Prevenir e minimizar possíveis danos depende da manutenção da estrutura e de uma política de poupança eficaz. Em qualquer espaço, é possível que apareça uma fuga de água.

Existem sempre riscos de fugas de água, seja qual for a estrutura ou edifício. No entanto, nos edifícios industriais há um risco maior. As suas consequências podem ter um grande impacto, especialmente quando se fala em termos de poupança de água. Áreas com deficiências nos sistemas de distribuição, resultam em fugas subterrâneas ou estruturas que envelhecem com o passar dos anos e permitem a entrada de humidade através de fissuras. No entanto, numa instalação industrial, o risco de fuga de água é muito maior.

Uma das possíveis causas para o aparecimento de alguma fuga é o envelhecimento das estruturas sólidas. Hoje em dia, e de forma geral, os edifícios industriais são feitos de materiais pré-fabricados ou de metal, sendo que ambos podem ser danificados com a humidade. Desta forma, o enfraquecimento das paredes compromete a segurança de todos os que trabalham na área. Além disso, um problema estrutural num armazém industrial pode causar situações devastadoras. Por exemplo, se a água entrar em contato com instalações elétricas, podem criar-se curtos-circuitos e até incêndios. Portanto, é necessário fazer uma revisão regular às estruturas dos edifícios industriais e evitar, a todo custo, a infiltração de água pelas paredes.

Os pontos mais importantes para evitar a deterioração de um armazém são: a prevenção e revisão e uma política de poupança de água entre os funcionários.

Prevenção e revisão da estrutura para evitar fugas de água

O primeiro passo a dar para evitar que a água entre nas instalações é reduzir as possibilidades de fuga. É importante saber que existem diferentes tipos de fugas de água, que vão desde fugas de serviço de linha até fugas através das válvulas.

Entre os principais fatores que influenciam estes casos, destacam-se a composição, os materiais e os métodos de montagem dos componentes do sistema de distribuição de água, dentro do armazém industrial. É aconselhado que examine as canalizações, ao comprar ou alugar um edifício de tipo industrial, de forma a verificar o seu estado e a identificar os canos que precisam ser substituídos.

Outra forma de evitar fugas de água é contar com contadores que calculam o consumo, pressão e temperatura deste recurso. Acompanhando o consumo, é facilmente detetável a ocorrência de qualquer imprevisto, que leve a um grande consumo repentino de água. Assim, deve-se ter a preocupação de verificar se o sistema de distribuição de água não é afetado por correntes elétricas, tensões ou se tem contacto com outras estruturas que o prejudiquem. A atenção deve ser redobrada em tetos e paredes das instalações, uma vez que a água pode entrar através das fissuras. Nestes casos, recomendamos que se informe sobre os serviços de impermeabilização, reforço ou reparação de estruturas.

Por fim, aconselhamos a não descuidar de aspetos essenciais, como a verificação da existência de poças no chão. Isso significa que, certamente, há fissuras e danos no telhado do edifício que devem ser reparados.

Políticas de poupança de água

Nem tudo relacionado à poupança de água depende de tecnicismos de fugas de água. Não podemos esquecer o fator humano, razão pela qual muitas empresas têm implementado políticas de poupança, de forma a consciencializar os seus trabalhadores para a importância de pequenos gestos, que tanto ajudam a não desperdiçar água.

As principais recomendações não são muito diferentes das que se podem aplicar em casa. O objetivo é que ninguém na empresa desperdice água e que todos a utilizem de forma adequada, somente quando necessário. Ao ser transmitido este tipo de política, também pode ser reforçada a importância de estar atento ao meio ambiente, transferindo essa responsabilidade para os funcionários.

Por outro lado, algumas estruturas e edifícios industriais, têm sistemas de ventilação natural, reduzindo o consumo de água e energia para refrigerar ou aquecer o espaço. Já existem aparelhos que, através de ventiladores, aproveitam o vapor da água para gerar ar quente ou frio. Na verdade, alguns processos industriais geram água ou ar, que podem ser redirecionados para outras áreas das instalações, auxiliando na climatização do espaço nas áreas mais frias. Por isso, o espaço deve ser estudado, de maneira a determinar quais são as áreas que precisam de mais temperatura.

Todas estas ações permitirão um melhor aproveitamento da água no interior dos edifícios industriais e reduzirão os riscos relacionados às fugas de água.

Selectra
www.selectra.pt

Translate »